SEGUIDORES

26 de abril de 2010

Seis Coisas Que Você Não Sabe Sobre Mim

Fui indicada pela amiga Leila do Blog Leila Franca e pelo amigo Antônio do Blog Recebi, Li e Gostei para participar de um MEME cujo tema é esse do título. Então fiquei aqui tentando pensar em alguns eventos que me aconteceram nas minhas andanças pelo país. E também indicar novos participantes, claro.

1. QUASE MORRI:

Segundo conta a lenda familiar, nascia em... (não interessa o ano...rs), bem rapidinho (impaciente como sempre...rsrs),, bem bonitinha, uma menininha que seria a caçula da família. Por quaquer razão que ninguém sabe até hoje explicar, essa guriazinha que nasceu saudável, não queria mamar quando saiu do hospital. A mãe conta que chorava, passou a tentar mamadeira, nada. A criança parecia obstinadamente não querer ficar por aqui.

Começou então uma peregrinação de médico em médico e nada era diagnosticado. Até que a mãe, já desesperada, pensando que ia perder a filhinha que a cada dia ficava mais magrinha e fraca, entrou numa igreja e depôs o coração aflito aos pés de Nossa Senhora. Parece que mães se entendem, porque até onde se sabe a menininha resolveu começar a se alimentar aos poucos e foi criando forças.

Claro que a menininha da história sou eu e claro também que não lembro de nada disso. O que posso atestar é que aos 6 anos de idade, sempre que saía para brincar acabava caindo, já que as perninhas magrinhas não me sustentavam. E estranhamente sempre tive um ótima saúde. Nunca fui hospitalizada, dificilmente fico doente, raramente tomo remédios, e agora tenho que me cuidar para não engordar...

2. INTUIÇÃO:

Certa feita, saí do trabalho e peguei o ônibus para ir para casa. Entrei, achei um lugar vago e sentei. Passei os olhos pelas pessoas, o ônibus não estava cheio e senti um mal-estar. 

Observei algumas pessoas que me pareceram estranhas e uma súbita intuição me ocorreu: esse ônibus vai ser assaltado. Não tinha nada concreto que validasse essa afirmação, tentei continuar a viagem, mas o mal-estar aumentou e decidi descer. Foi o que fiz e peguei o próximo ônibus que apareceu.

Qual não foi meu espanto ao passar por uma determinada rua e me deparar com o ônibus que eu estava parado no meio da rua, sendo assaltado como previ. Vá explicar isso! Mas se existe uma coisa nesta vida que aprendi foi seguir minha intuição, ela já me livrou de vários problemas...

3. TERAPIA:

Nunca fiz terapia. Nada contra, apenas nunca aconteceu. Mas uma vez fui levar uma amiga para consultar uma psicóloga e acabei numa única sessão fazendo uma regressão a uma vida passada. Foi uma experiência interessantíssima, vocês não tem idéia. Mas não vou entrar em detalhes porque quero fazer uma postagem sobre isso. Então vou terminar este ítem aqui, antes que eu acabe contando, ó céus, como é difícil colocar o ponto final quando escrevo ou falo. Eu lembro que... PONTO FINAL. Ufa, consegui!..rsrs

4. LIVROS

Fui criada dentro de uma biblioteca. Meu pai estudou até o quarto ano primário apenas, mas foi um grande auto-didata e leitor inveterado, de forma que conseguiu nos dar  uma vida bastante confortável. E resolveu que os filhos não passariam pelo que ele passou. 

O resultado é que desde que aprendi a ler, não lembro de ter ficado um dia sequer sem ler alguma coisa. A biblioteca era variada, tinha clássicos da literatura, livros sobre medicina, enciclopédias (lembro que lia as enciclopédias muito criança e não entendia nada...rs.) até livros infantis. 

Aprendi a gostar de mitologia grega nesta época, através do Sítio do Pica-pau Amarelo do Monteiro Lobato. O ruim eram as baratas, tinha tanto papel naquela casa que elas faziam uma festa...rs. E como todo mundo sabe, eu adoro baratas.

5. INDEPENDÊNCIA

Aos 22 anos, dei meu grito de independência, comecei a trabalhar e fui morar sozinha. Não foi um grito muito alto, é verdade, já que não tinha renda e o apartamento ficou no nome do meu pai,  os móveis ganhei da minha mãe e recebi doações de diversas almas caridosas. 

Lembro que no dia que me instalei, fui toda feliz ao super-mercado fazer as minhas primeiras compras. O primeiro problema foi no banheiro. Após a inauguração, quando fui procurar o papel-higiênico percebi que ele não estava lá. Foi uma surpresa enorme, sempre pensei que ele fazia parte do banheiro... 

Depois fiz outras descobertas interessantes, como a ausência de um abridor-de-latas, por exemplo, também pensei que ele já vinha com a cozinha. Mas fale a verdade, quem em sã consciência vai lembrar de comprar um abridor-de-latas?

6. SOLIDÃO

Quando estava com a vida estabilizada, recebi um convite de uma Empresa para trabalhar no Rio. Foi uma decisão difícil, porque na minha cidade natal, tinha meu apartamento, meu carro, um  trabalho que me permitia viver confortavelmente. Mas topei. Zerei e comecei tudo de novo. Chamei minha mãe, meu pai já tinha falecido, e lá fomos nós. Lá chegando, não consegui começar a trabalhar logo, surgiram entraves burocráticos. 

O tempo foi passando, tinha uma reserva de dinheiro limitada para me manter lá, já que tinha alugado um apartamento, e nada acontecia. Minha mãe sentiu falta da casa dela, voltou. Minhas três tias que moravam lá tinham viajado, não conhecia ninguém.  Um dia, fui dar uma caminhada na praia, e descobri o verdadeiro significado da palavra solidão. Sem amigos, num ambiente desconhecido, sem falar com ninguém (logo eu que adoro conversar).  

Aí olhei para o céu e resolvi conversar com o Criador: Amigo, não sei porque você me trouxe aqui, mas quero crer que teve um bom motivo. Só quero lhe avisar uma coisinha: eu não vou ficar aqui me "patetiando", ou eu começo a trabalhar ou volto para o meu canto. Acredite se quiser:  no outro dia comecei a trabalhar.  E depois disso foram 10 anos maravilhosos. Adoro o Rio e os amigos que fiz por lá.

Agora meus indicados. Como demorei para fazer a postagem provavelmente vou escolher alguém que já foi indicado por alguém, mas vou tentar inovar:

1. Ebrael do Blog  

2. Iuri do Blog 

3. Herval do Blog 

4. Valeria do Blog 

5. Mary Miranda do Blog

6. Juliana do Blog

43 comentários:

  1. Que legal sua experencia de vida, parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Denize,

    Estava lendo, e lendo mais, sobre tudo isso que você nos contou... e percebi que todos que encontram os livros por companheiros, ou gritam "Independência ou..." ou ficam escravos do que os outros escrevem, lhes prescrevem ou lhes inscrevem em suas testas.

    No meu caso, fiquei escravo por um bom tempo; por isso que seu exemplo me lembrou do tempo que poderia já ter dado o eco ao grito de Dom Pedro, e não dei. Agora , já dei meu tal grito de "Libertas, quae sera tamen" - Libertade, ainda que tarde" - aliviado!! Aliviado?? Agora sabemos, eu e você, que a tal Liberdade tem um preço bem caro - a Responsabilidade - que, se bem pago, nos torna um pouco menos susctível às circunstâncias.

    Obrigadinho por ter-me indicado!! Também não esqueço de você, não!! Apenas andava bastante ocupado com trâmites de um novo projeto que está por nascer.

    Bjs, minha linda!!

    Ebrael.

    ResponderExcluir
  3. Denize
    Lindo conhecer um pouco de sua vida
    E a sua conversa com Deus
    Foi muito bom
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Adorei saber um pouco mais de você. De tudo o que li resumi como "coragem e boa vontade". Parabéns.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Muito bacana a sua história Denize!

    E parabéns pelos amigos escolhidos!

    Beijossssss............

    Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  6. Olá Denize,

    Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a indicação, acho difícil falar de mim, mas vou tentar fazer o melhor possível =) (na verdade qualquer coisa que eu colocar diferente do blog acho que as pessoas não saberão mesmo, rsrsrs).

    Muito interessante todos esses acontecimentos, é engraçado que começamos a conversar com alguém por e-mail, e temos a sensação que já a conhecemos. Depois vem um monte de acontecimentos novos, e nos tornamos mais próximos ainda. Gostei muito de ler um pouco mais sobre você.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  7. Seu papo firme com o Criador foi fantástico!

    Já diziam por ai que chamar pro "cantão" é sempre uma boa alternativa pra desbaratar nós.

    Vi ontem bem madrugada mesmo, mas não tinha forças cerebrais pra entrar na brincadeira.

    Hoje com alguns minutos antes de pegar, novamente no tranco faço meu aquecimento cerebral com esta brincadeira muito legal.

    Beijos e obrigada.

    Valéria

    ResponderExcluir
  8. Olá Denize!

    Adorei saber um pouco mais sobre ti! :)

    Sabes, eu às vezes também tenho "pressentimentos"...rsrs Tenho a certeza que algo vai acontecer ali! Mas ao contrário de ti, porque sou muito curiosa, eu fico para ver. Já me vi no meio de situações perfeitamente evitáveis! rsrsr

    Beijos
    Luísa

    ResponderExcluir
  9. Me identifiquei com você em vários aspectos...
    Que experiência de vida legal, hein...

    bjs

    ResponderExcluir
  10. Olá Denize,

    Tu contou histórias fantásticas, gostei de conhecer este lado intuitivo.

    Abraço

    ResponderExcluir
  11. Oi Denize,

    As postagens relativas aos memes me pegou bem na data de entrega de trabalho aqui, lembra que te falei? Dia 27...rs E eu ali só vendo todo mundo escrevendo e eu na maior curiosidade sem poder ler nem comentar...rsrsrs Chegou a ser tortura isso!

    Vc, como sempre, com seu jeitinho especial de contar as coisas. Temos algo em comum: também comecei a gostar de mitologia grega através dos livros de Monteiro Lobato, cuja coleção completa ganhei aos 10 anos de idade e "devorei"...rs Acho que esses livros é que me ensinaram a gostar de ler.

    Gostei de ler sobre sua independência! Nós, mulheres, somos corajosas em partir! Acho que os homens ficam mais na casa dos pais.Mas é assim mesmo, no início, nossa falta de experiência... mas tudo tem uma utilidade. Hoje podemos escrever artigos engraçados sobre aqueles dias.

    Só não entendo como vc pôde se sentir sozinha no Rio de Janeiro, um lugar onde todos fazem amizade facilmente. Se eu quisesse sair de casa agora, ir na rua e fazer 10 amigos novos, eu faria...rs Sou a maior conversadeira da paróquia...

    Mas adorei ler o que escreveu!

    bjs

    ResponderExcluir
  12. Ameeei conhecer mais da sua vida! Você sabe o quanto sou curiosa né...

    Muito legal! E fico esperando sua postagem da terapia...

    Gostei de ser indicada também! Mas acho que vou demorar pra conseguir fazer... mas não faz mal!

    Eita desafio... ui ui ui

    Parabéns pela coragem de falar de ti!

    Beijos, Ju

    ResponderExcluir
  13. Oi Ebrael, você fez uma colocação muito interessante: ficar escravo do que se lê. Não questionar. Há muito tempo eu fiz a opção de filtrar tudo que leio, que me ensinam, que vejo, e criar a minha própria concepção da vida. Por isso exerço a minha religiosidade, por exemplo, de uma forma particular. E você tem razão, o uso do livre arbítrio tem um preço. A Liberdade requer responsabilidade senão perde o sentido e não liberta.

    A vida tem me apresentado desafios constantes, e virei especialista em recomeços. E quando a vida me chama, ela sabe que eu vou, não sou de "amarelar". A vantagem de ser andarilha é que a gente se adapta a viver em qualquer lugar, como se pertencesse a ele, mesmo que jamais abandone as próprias raízes e sinta saudades da terra que nos viu nascer.

    E não esqueço mesmo os amigos, mesmo quando desaparecem por causa de outros afazeres...

    Já vi que amanhã vou passar um bom tempo lendo as postagens dos amigos...

    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Oi Rose, acho que a maioria de nós tem conversas com Deus. Todos temos nossos momentos de incertezas e perplexidades. E neste caso que contei no texto, ele me conhece muito bem e sabe que uma das minhas virtudes não é a paciência. Estava no meu limite, mas Ele se faz presente quando precisamos...

    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi Bel, e eu adorei ver você por aqui. Gostei muito do Resumo: Coragem e Boa Vontade, mas não sei, coragem, tem horas que me apavoro, e boa vontade, nem sempre, mas não faço nanda com má vontade, porque se for para fazer, simplesmente prefiro não fazer nada.

    Bjs

    ResponderExcluir
  16. ThataLyScal: Obrigada, amiga! Bjs

    ResponderExcluir
  17. Oi Iuri, também acho que sua postagem vai ser novidade mesmo, já que você não costuma falar de coisas pessoais no seu blog...rsrs.

    Essa idéia do Lison foi genial, é bem legal a gente conhecer um pouco mais os amigos que se tornaram tão próximos, ainda que distantes, né?

    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Oi Valéria, meu relacionamento com o Criador é meio atípico, penso eu. Já tivemos brigas ótimas, já fiquei um tempão sem falar com Ele, mas sempre acabamos nos entendendo.Tem horas que fico com a impressão que Ele me larga nos lugares, vira as costas e vai embora. Mas acabo descobrindo que é só impressão, eu é que sou ansiosa e quero resolver tudo rápido. Ele está sempre por perto, pude constatar isso várias vezes...

    Essa coisa de perder as forças cerebrais eu conheço. Quando fico assim, não me atrevo nem a comentar... Por isso decidi não exagerar mais e não ficar "blogando" até muito tarde. Depois vou ver a sua postagem.

    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Oi Luísa, quer dizer que se você estivesse no meu lugar você ficaria para ver??? Nossa! Eu sou muito curiosa também, mas você me ganha longe. A minha curiosidade é assim: nunca se atreva a me dizer que tem alguma coisa para me contar, mas que não vai contar agora. Tem gente que adora fazer isso. Não precisa me avisar. Só quero saber na hora que você for contar, ora bolas...rsrs. Senão fico remoendo, especulando... E minha curiosidade não é "fofoqueira...rs". Quero saber as coisas só para mim, jamais tenho vontade de passar adiante.

    Agora, curiosidade por más notícias ou para testemunhar eventos tristes ou ruins, não tenho nenhuma. Ao contrário, fujo disso.

    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Oi Karine, já observei que lendo este tipo de postagem, a gente muitas vezes se identifica com as experiências e trajetórias de vida dos amigos. É bem legal! Obrigada por participar aqui! Bjs

    ResponderExcluir
  21. Oi Geraldo, este lado intuitivo já me livrou de vários perigos. E aprendi que se acho que alguma coisa está errada ou estranha, é porque está mesmo, ainda que não identifique o motivo de imediato. Acho que foi este lado que fez com que nestes 10 anos que passei no Rio nunca tenha sido assaltada, mesmo com meu jeito e sotaque de turista. E olha que houve um tempo que não conhecia mais ninguém que não tivesse uma história desagradável para contar.

    Abs

    ResponderExcluir
  22. Oi Leila, eu lembro que você me falou do seu problema de tempo. Também quero saber mais sobre os amigos, mas estou enrolada aqui, vou ter que fazer isso à noite.

    Eu também li a coleção toda do Monteiro Lobato e adorei, mas os volumes sobre Os Doze Trabalhos de Hércules forma os que mais me encantaram.

    Na questão da independência achei interessante perceber como estava mal-acostumada. Qualquer coisa que eu precisasse era só gritar: Mãe!!! - e estava resolvido. Estranhei muito quando descobri que a partir daquele momento era tudo comigo. Mas valeu a pena! Aprendi muito nessa época.

    Já em relação a Solidão, o problema todo foi o momento que eu estava vivendo. Você zerar sua vida e partir em busca do desconhecido tem um preço. Quando você faz uma mudança radical dessas, é quase como nascer de novo. Você perde todas as referências. Até pegar um ônibus vira uma coisa complicada, você não conhece a cidade, não sabe para onde está indo, tem que pedir ao motorista para lhe avisar o momento de descer, ele esquece, a gente fica tensa, insegura.

    Com a demora na questão do trabalho, o dinheiro acabando, sem saber se teria que voltar, acabei me estressando. E eu que faço amizades com facilidade, e falo muito fiquei muda. O astral influencia demais, a gente fica meio perdida. Eu lembro que me perguntava, o que estou fazendo aqui, o que quero provar longe de tudo e de todos? Até o mar que sempre adorei, não cheguei perto, enquanto a situação não se resolveu.

    E é engraçado como o trabalho dá segurança e muda tudo! A partir dele, logo fiz várias amizades, reencontrei amigos que tinha conhecido nos períodos de férias que passei no Rio, e em seguida já estava me sentindo em casa, indo à praia feliz da vida! E depois que as tias voltaram, ganhei três mães muito queridas.

    Mas como você disse, são essas peripécias que tonam a vida emocionante. Senão seria um tédio, né? E agora podemos contar e rir. Assunto não falta. E como a andarilha aqui ainda não parou quieta, nunca vai faltar...

    Bjs

    ResponderExcluir
  23. Oi Juliana, você já me conhece bastante e sabe que não gosto muito de falar de mim. Como você disse, eita desafio..rsrs.

    A terapia vai aparecer logo, foi uma experiência muito interessante mesmo! Não imaginei que fosse acontecer o que aconteceu.

    Faça sua postagem quando puder, sei da correria, mas me avise, tá? Você sabe como sou atrapalhada e reduzi meu tempo de internet.

    Bjs

    ResponderExcluir
  24. Olá, Denize!
    Demorei, mas vim! rsrsrs
    Agradeço a escolha para a meme e vou colocá-la em prática logo, logo! (Vou surpreender bastante, aguarde! rsrsrs)
    Linda, achei maravilhosa a passagem que você conta sobre o fato de não querer se alimentar quando criança; me veio lágrimas aos olhos.
    Comparando com uma gatinha que tenho (não me leve a mal comparar sua situação com a de um gato. Afinal, você sabe, considero os animais até mais perfeitos que nós...), minha felina, de uma ninhada de 5 gatinhos, também odiava mamar e ficava brincando em volta da mamãe dela.
    Dava uma dor danada vê-la magrinha, quase em pele e osso, e eu que a amo mais que os outros dessa ninhada!...
    Deus é realmente maravilhoso e fez com que ela não gostasse muito de mamar, mas gostasse de RAÇÃO!
    Foi a primeira a engolir os grãozinhos de ração sabor peixe e agora, não que seja gorda, mas é uma das mais saudáveis, e brincalhona como só ela!
    Um beijo, querida, e amei saber o seu histórico de vida!
    Pelo o que tenho visto nos posts, todo mundo nasceu para ser um enredo de novela, basta que haja um Manoel Carlos para tecer o enredo na maneira certa! rsrsrs
    Mary :-)

    ResponderExcluir
  25. Oi, Denize, desculpe-me pela demora. Estive aqui antes para ver quem você havia indicado. Depois fui fazer o meu post e responder os comentários. Agora, estou muito feliz lendo os seus atos heróicos. vou aguardar o seu post sobre a regressão para sanar a minha curiosidade. Adorei conhecxer um pouquinho da sua história.
    Um abraço.
    João

    ResponderExcluir
  26. Deni (viu como já somos amigos?)

    Como já te disse, eu adoro sua forma de escrever. Na verdade, eu "como" as suas palavras e me delicio com tudo o que leio. E o mais importante: me divirto muito!
    Ao final da leitura, descobri que continuo não sabendo nada a seu respeito. Sua idade é uma incógnita (parece até a Glória Maria, do Fantástico, que ninguém sabe a idade, mas faz 60 esse ano...). Contudo, hoje, o que realmente importa é que você é uma talentosa "blogueira"(cá entre nós, esse termo é horroroso!).
    Beijim...e obrigado pela honra de citar-me para escrever 6 coisas que ninguém sabe (talvez nem eu mesmo) a meu respeito. Vou caprichar!

    ResponderExcluir
  27. Denize ,
    Você tem uma maneira de escrever bem envolvente .
    Gostei muito.
    AH ! Vou cobrar o post da Terapia, hein ? :)
    abs,
    Eninha

    Como está o seu cãozinho Bingo(né?)

    ResponderExcluir
  28. Uma maneira bem elegante amiga, gostei de conhecer mais um pouco.
    Abraços forte

    ResponderExcluir
  29. Olá Denize querida!
    Legal conhecer um pouco mais da amiga.
    Beijos, Fernandez.

    ResponderExcluir
  30. Denize, agora eu sei pq me identifiquei de primeira com vc, no primeiro dia que vim aqui no tu blog: nós temos muuuuuitas coisas em comum! :-D Começando pelo pai que não estudou muito mas era auto-didata e adorava ler, o que nos incentivou para que seguissemos seus passos. Depois a coisa da paixão pelas lendas gregas e por Monteiro Lobato. Nunca fui ao Rio, mas SEI que um dia ainda irei e, por fim, a coisa da intuição fortíssima que tbm sigo cegamentw e que já me livrou de umas boas nessa vida doida... deliciosas respostas, as tuas, visse? Bjão!

    ResponderExcluir
  31. E o papel higiênico não faz parte do banheiro???
    Só falta me dizer que o jornal também não!!! rs*
    Não sabia nada do que narrou, mas o fim já era conhecido. És vitoriosa por essência!

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  32. Gostei muito de ler sobre você, parabéns!!

    ResponderExcluir
  33. Oi Mary. Realmente deve ter sido muito doloroso para meus pais correrem o risco de perder sua caçulinha, ainda mais daquela forma, sem explicação. Eles que já tinham dois guris, sonhavam com uma guriazinha... O desespero deve ter sido terrível.

    Mas que coisa essa da sua gatinha...

    Eu, da minha parte, fico feliz que tenha sobrevivido. Hoje eu tenho certeza que não poderia ter sido de outra forma. Ninguém consegue se livrar de mim com facilidade...rsrs.

    Bjs

    ResponderExcluir
  34. Oi João, adorei ver você aqui, depois da emoção que tive ao ler sua postagem... Atos heróicos? Eu? Você sim amigo, que é uma pessoa diferenciada, e que aprendeu a transformar lágrimas em lindas poesias...

    O Post sobre a Regressão sairá logo, pode esperar!

    Abs

    ResponderExcluir
  35. Oi Herval, você sabe que também gosto muito do seu estilo de escrever. Acho que temos isso em comum, falamos sério sem perder o humor. Uma vez uma amiga me perguntou: você nunca fala sério? E a minha resposta foi: não se eu puder evitar, mas claro que estou brincando. E ela: desisto...rs.

    E o que você não sabe é que nas férias visitei seu blog e li a maior parte dos seus textos, me diverti muito, até quando não concordei com a sua opinião.

    Mas você teve uma boa percepção. Eu não gosto de falar muito de mim, não sei porque... A não ser coisas pitorescas da minha vida.

    Quero deixar claro que qualquer semelhança com a a pessoa citada por você é mera coincidência...rs. Eu falo minha idade sem o menor problema. Eu nasci em... na verdade isso também não interessa para ninguém e curiosidade é feio...rsrs.

    Depois quero ler sua postagem.

    Abs

    ResponderExcluir
  36. Oi Eninha, obrigada pelo elogio. Eu às vezes me empolgo e exagero um pouco nas cores...

    A Terapia sairá brevemente...

    O Bingo está ótimo, impossível como sempre. Está aqui comigo tentando colocar a patinha no teclado, acho que também quer escrever...rs.

    Bjs

    ResponderExcluir
  37. Obrigada Príncipe! Todos nós temos nossas peripécias para contar, né? Abs

    ResponderExcluir
  38. Oi Fernandez! Que bom te ver aqui. Terminaram as férias? Seja bem-vindo! Bjs

    ResponderExcluir
  39. Oi Shirley, mas são muitas coisa em comum mesmo, menina! Que maravilha! E vá conhecer o Rio mesmo, vale a pena! Essa brincadeira é interessannte também por isso, é quase impossível a gente não se identificar com alguns amigos! Bjs

    ResponderExcluir
  40. Oi Sérgio, nem jornal, nem abridor-de-latas, faltava tudo naquela casa...rsrs. A casa dos meus pais era muito mais completa! Foi difícl o começo da minha independência como você viu, sofri muito...rs.

    Obrigada por suas palavras, mas acho que ainda tenho muitos desafios pela frente... Acho que tédio nunca vai fazer parte da minha vida...

    Abs

    ResponderExcluir
  41. Oi Vanda, que bom que você gostou da postagem. Obrigada por participar aqui. Bjs

    ResponderExcluir
  42. Oi! Sou Wagner e, acabei de criar o Blog: maosquecriamlm.blogspot.com (Nosso Blog!)que tem o objetivo de fazer postagens relacionadas aos 8 objetivos da ONU e faz parte do PNUD(Plano das Nações Unidas para o Desenvolvimento), voltado principalmente à ações de auxílio a crianças e adolescentes.
    Na procura de blogs relacionados, achei seu blog e adorei! Realmente cativante!!! Adorei esse Post e estou curioso para ler sobre a "Terapia", ai ponto final...!rs Muito boa a forma como escreve, parabéns!
    Adorei!!!

    Abraços

    Wagner Moreira

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante e esse espaço é seu. Aqui você pode concordar, discordar, ensinar, enfim, passar a sua visão e experiência de vida. E sempre procuro responder a todos.

Só tem um detalhe: comentários agressivos e com palavrões não serão publicados, porque vão de encontro à proposta deste blog, que é contribuir ainda que modestamente, para a Paz e Harmonia.

Desde já agradeço a atenção.