SEGUIDORES

14 de abril de 2011

Placas Que Ensinam

Agora é a hora e a vez da minha querida amiga carioca(de coração) Mary Miranda  do Blog Fatos de Fato (clique para acessar), onde a gente pode trocar idéias com a Autora através dos comentários, a partir das informações e reflexões que ela nos traz. 

O Fatos de Fato é um blog de alguém que possui o "dom de escrever" e que sabe como prender a atenção do leitor e transformar idéias e acontecimentos em interessantes fontes de aprendizado e reflexão. Não deixe de conhecer!

E agora, com a palavra, Mary Miranda...

SEGUE A POSTAGEM:

FIADO, SÓ AMANHÃ!

Sou uma boa observadora dos locais que frequento, um tipo de cliente que observa do chão ao teto, o jeito como os atendentes chegam, o sorriso amarelo que lançam quando não levo nada e a máxima do "Ficou perfeito em você!" uma blusinha odiosa que faz qualquer mulher se transformar na própria imagem da "jequice"...

Sou cliente enjoada, admito, faço com que o funcionário que teve a infelicidade de falar para mim o usual  "Pois não? No que posso ajudá-la?" refazer a pergunta mental,  se valeria mesmo a pena ganhar seu parco salário com clientes como eu...

Ele(a) terá que abrir todas as caixas de um só tipo de sandália, para no final eu descobrir que gostava mais... (que vergonha de falar!) da primeira que vi!!!!

A sorte,  para o desafortunado escolhido funcionário, vem em número de 2:

1) Sou muitíssimo agradável

Não destrato atendente de jeito nenhum, sorrio o tempo todo e mantenho papos agradáveis (geralmente eles colocam suas vidas nas palmas de minhas mãos);

2) Na loja que ponho funcionário para trabalhar muito, é lá que comprarei

Quando vejo que o funcionário já está muito impaciente, supondo perder a comissão já que entraram outros clientes, perdendo tempo comigo pois pensa que nada levarei, disparo logo:

- Pode deixar que vou comprar com você, viu? Posso demorar, mas vou acabar escolhendo alguma coisa... (cumpro sempre com minha palavra!)

Estou aqui discursando sobre lojas de grande porte, daquelas que nos perdermos entre artigos e gente, e às vezes nem sabemos quem é o empregado do estabelecimento!

Entretanto, são as mais resignadas lojinhas de bairro, aquelas que conhecemos toda a árvore genealógica dos donos, que vimos seu cabelo despenteado para atender-nos porque cismou de dormir até mais tarde, são as que mais me tomam as reflexões...

Como adoro as plaquinhas dessas quitandas, biroscas, barracas e afins!!!! Muito de meu conhecimento veio dessas placas...

Pode soar como brincadeira minha, porém, alego em minha defesa, que todos nós já tivemos aprendizados informais, e por que não essas barracas de bairro que nos ensinaram também?

No meu comecinho de leitura complexa, quando eu já sabia os vários valores do "X" em uma palavra, portanto,  já conseguia ler frases mais longas que as adequadas para a minha série, li com todo o gosto o seguinte dito popular:

NÃO TENHO TUDO QUE AMO, MAS AMO TUDO QUE TENHO.

Tinha meus oito anos mais ou menos, e não compreendi lá bem o fundamento...

Só que todo dia me entupia de balas, doces diversos -  a formiga-criança não perdôa -  e de tanto ler, naquela barraca simplória e feliz, acabei sentindo o valor daquelas palavras.

Em outros estabelecimentos comerciais caseiros (isso escrevi para enobrecê-los...), tive uma lição das maiores:

QUEM TEM OLHO GRANDE, NÃO ENTRA NA CHINA.

Para arrematar o mesmo sentido dessa supra mencionada, li em outro:

NÃO ME INVEJE, TRABALHE!

E o DEUS TE ABÊNÇOE ( eles colocam o acento; não sabem que apenas "bênção" leva o circunflexo!), que tanta paz transmite aos que ali chegam?

Por sobrevivência, as humildes lojas comerciais tiveram que inventar - e fazer daquilo um padrão - a placa mais valiosa para continuarem no ramo:

FIADO, SÓ AMANHÃ!

Em supermercados pomposos, ninguém compra a crédito informal ('fiado'), porque existe uma seriedade de caixas, uniformes e olhar de poucos amigos.

Então sobra para as barraquinhas o inevitável: "Põe na conta" (só que a pessoa não avisa na conta de quem); o mês que vem é tão demorado...

A utilização do informativo "Fiado, só amanhã" dá um ar de teor notório, apesar de trazer alguma jocosidade em sua conotação.

A primeira vez que li, perguntei ao dono, um moço que eu conhecia desde que comecei a estudar,  se eu poderia pegar mesmo a crédito no dia seguinte.

Ele riu às pampas e me respondeu que sim. Bobinha inocente, nas maravilhas da idade tenra, fui eu comprar na mesma barraca costumeira. Pedi-lhe que trouxesse uns doces de leite e jujuba.

- Amanhã eu pago, "tá"? - falei toda risonha.

Ele, com ar brincalhão, apontou a placa, e eu senti-me enrubescer dos pés à cabeça pela Descoberta do Brasil: placas de amanhã são amanhãs que não chegam nunca...

A generosidade daquele senhor, que era conhecido de nossa família, surgiu na compreensão de que valores infantis não são os de adulto, e ao invés de fiado, ele me deu todos os doces que eu lhe pedira minutosantes... (Esse moço não está mais entre nós, e eu nunca pude lhe dizer o quanto minha infância foi um tanto melhor, pela existência dele em nossas vidas!)

Nunca gostei de deixar para pagar depois, salvo em casos em que isso se fez obrigatoriamente necessário. Com placa ou sem placa.

Para essas lojinhas familiares, aquelas do bairro, que muitos de nós não estabelecemos  uma ligação de carinho, eu bato palmas e peço bis!

São esses minúsculos empresários que sustentam nosso país, pois facilitam o acesso maior ao consumo básico dos cereais, laticínios,verduras, etc.

Esses comércios são fundamentais para a resistência à mudança de moeda, inflação e todos aqueles embustes que os "oficiais" da área nos forçam a engolir.

A plaquinha VOLTE SEMPRE!  é a mais perfeita expressão do que são suas pequenas lojas dentro do coração do consenso local.

OBRIGADA  a todo aquele  resistente dono de comércio caseiro, que faça chuva ou faça sol, está aí e sabe SERVIR BEM, PARA SERVIR SEMPRE...

CONHEÇA UM POUCO MAIS SOBRE A MARY MIRANDA:

Sobre mim

Sou Mary Miranda, nascida em Nova Iguaçu, RJ. Minha formação é o magistério, como professora de Português/ Inglês.

Resolvi ser blogueira porque adoro mostrar minhas ideias, opiniões, compartilhar sentimentos com as pessoas que chegam até o meu espaço. Sinto-me orgulhosa por meu blog já ter dois anos e meio, onde mantenho muitos leitores-amigos e vice-versa.

Sobre o Blog

Meu blog é o Fatos de Fato, espaço que  uso para escrever minhas crônicas, poemas, textos de diversos estilos. Ele é voltado para os fatos do dia-a-dia, vivências minhas, tudo o que eu considere relevante postar. Seja sempre muito bem-vindo(a) quem quiser
visitá-lo!!!!

Agradeço muitíssimo a Mary, por ter aceito meu convite e me permitido trazer esta ótima postagem para meu espaço aqui.

26 comentários:

  1. A crônica é deliciosa e dá uma saudade danada da Lojinha do Seu Ouvídio. Ou da dona Suzana, a Banca do Raimundo, o Bar do Zé... Coisas que, infelizmente, vão ficando só na memória de quem viveu. Ou de privilegiados leitores de uma crônica dessas. É o progresso (mardito!)rsrs

    A Mari, conheço aqui do dihitt há uns 3, 4 anos? Xi, faz tempo mesmo.

    Comentários bem humorados, indignações bem colocadas. Sensível e inteligente. O resultado da parceria, nem preciso dizer, foi excelente.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto, gostei muito, é bem interessante.

    O comercio tradicional é ainda o melhor.
    Lembro-me bem desses tempos.
    A vantagem dos centros comerciais é congregar várias opções num espaço só,mas por isso mesmo perdemo-nos em gastos desnecessários e lá vem o consumismo destruir o orçamento familiar.
    O maldito cartão que hoje me dia substitui o fiado, para quem não tem cuidado, pode ser o fim

    Abs

    ResponderExcluir
  3. Sou uma fã dessa amiga Mary Miranda, aliás nome que cairia muito bem para uma Escritora renomada. Um dia, quem sabe eu encontre aqui no Sul um Livro dessa ´pessoa de personalidade e diga para mim mesma:

    - Bah! mas esta guria eu conheci naquele site de notícias ...o Dihitt!!! que bárbaro!

    Maria Marçal - Porto Alegre - RS

    ResponderExcluir
  4. Mary minha flor... como sempre prende a atenção do começo nao fim....
    Também tem verdadeiro apreço por estes pequenos estabelecimentos que nos permitem passar de cliente para frequentadora e com o tempo até consulente....heheheheh
    Minha infância, embora tenha sido em São Paulo, foi cercada de pequenas padarias, mercearias, barzinhos (conhecidos como botecos), barbearias... etc. Consigo até lembrar os nomes e rostos.....
    E são eles sim que giram boa parte de nossa economia e são de longe os que mais empregam, mas também possuem uma triste constatação: São os menos auxiliados pelas políticas de governo e sociais!
    Como você também sou uma compradora sempre sorridente, mas... detesto ser mau atendida. Sabe aquele tipo que parece estar te fazendo um favor em falar com você? Nestes casos, peço para falar com o Gerente ou responsável e peço outro atendente.
    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  5. Denise, querida amiga....você escolhe pessoas muito especiais... e a Mary escreve como se só fizesse isto a vida inteira. Seus textos são envolventes.....
    Parabéns por mais este sucesso!
    Beijo grande no coração

    ResponderExcluir
  6. Olá, José!

    Eu tenho o orgulho de dizer que essas barraquinhas ainda existem em minha cidade!
    Nova Iguaçu é uma cidade muito interessante, que progrediu muito, mas mantém um ar um tanto rural, o que me agrada demais!!!!
    Você citou alguns nomes de comerciantes locais.
    Que ótimo isso!
    Eles, com o tempo, passam a fazer parte da família, é impressionante!
    Poxa, amigo, não espalha!
    Não somos tão velhos assim de diHITT...
    Daqui há pouco vão achar que estávamos postando em blogs na época da Santa Ceia! rsrsrs

    Obrigada pelo carinho e comentário tão lisonjeiro!
    A Denize é uma amiga que está sempre por perto, mesmo estando longe... rsrsrs

    Abração da Mary pra você! :)

    ResponderExcluir
  7. Oi, Emília!

    Obrigada desde já!!!!
    Sim, concordo plenamente!
    É o comércio local, dessas barraquinhas simples, que fazemos um controle melhor do orçamento!
    Aqui pertinho da minha casa, tem um hipermercado maravilhoso, que tem tudo o que imaginar, o que colabora para 'detonarmos' com o dinheiro separado para as compras...
    Forro de fogão? Onde coloquei mesmo? Tal a utilidade dele... rsrsrs
    E o cartão de crédito é o fiado moderno, que leva à perdição!...
    (Já vi gente com a corda no pescoço por causa dele!!!!)

    Abração!

    Mary:)

    ResponderExcluir
  8. Olá, Maria!

    Agradeço sua presença aqui!
    Um dia, quem sabe, isso não venha a acontecer?
    Só Deus sabe, só Ele sabe...


    Mary:)

    ResponderExcluir
  9. Olá, Flor Valéria, amiga minha!

    É sempre, sempre e sempre um enorme prazer receber um comentário seu em qualquer post que eu escreva!
    Muito obrigada!!!!
    Meu agradecimento se estende às belas palavras que falou ao meu respeito.
    Só alegria pra mim, amiga!
    Legal demais saber de outras pessoas que curtiram ou curtem o comércio local; adoro até hoje essas barraquinhas e padarias pequeninas que conhecemos desde tanto tempo...
    É a mais pura verdade: esses comerciantes não recebem apoio e são os que mais pagam impostos!
    Sem contar que, como você mencionou, eles dão mais empregos, e até formam futuros profissionais da área abraçada ( por exemplo, meu ex-aluno trabalha como jovem aprendiz numa padaria aqui perto; quem sabe não sai dali um ótimo padeiro ou, mais além, um chèf?)
    Ah, já tive esse desprazer de ser mal atendida algumas vezes...
    Atendente de loja besta, perde a freguesa: não compro ali de jeito nenhum!
    Costumo dizer que todo cliente gosta de ser paparicado e eu não fujo à regra! rsrsrs


    Beijos, flor!

    Mary:)

    ResponderExcluir
  10. Olá, Denize, minha querida amiga e já de longa data!

    (Só não espalha, como fez o José, o tanto de tempo que nos conhecemos no diHITT! rsrsrs)

    Já te disse obrigada várias vezes, mas todos os agradecimentos foram em 'off', o que considero injusto...
    Falo em público, quero que todos leiam, o quanto seu convite me envaidece, o quanto me deixa EXTREMAMENTE FELIZ ser convidada e recebida dessa maneira tão plena, acolhedora no seu espaço, por você, guria querida e colorada!!!!
    Mesmo quando esteve longe do diHITT, tive a felicidade de te 'ver' através de e-mail, e alegria maior quando proporcionou-nos com sua presença, o retorno 'à casa'!


    Você é uma dessas amigas que não preciso conhecer ao vivo para saber que posso confiar!

    Um grande beijo e fique sempre com Deus!

    Sou uma admiradora sua!!!!

    Mary:)


    P.S.: Sobre o post, você acrescentou o 'de coração' ao carioca como te pedi. Adorei!!!!
    Realmente, há essa confusão (que só ocorre no RJ!), quanto a quem nasce na capital e em outras cidades.
    Sou fluminense na localidade, mas não no time, não posso deixar de frisar isso! rsrsrs

    FLAMENGO forever!!!!

    ResponderExcluir
  11. Olá Denize!
    Ah, Mary me fez lembrar de uma lojinha no bairro de Moema, onde nasci- "Bazar da D. Esperança". E naquele tempo a tal caderneta, onde eram marcadas as compras do Empório.
    Xiii...faz tempo isso! muito mais tempo do que as lembranças de vocês..kkk..........
    Ah, lembrei! Eu fazia fiado também no pipoqueiro da escola! isto sim, era muito bom.
    Beijos para as duas!
    Vera Alvarenga

    ResponderExcluir
  12. Olá meninas!
    Duas queridas, juntas, no mesmo espaço? Que bênção!!! (viu, Alteza?? Acentuei direitinho! kkkk).
    Todos já viram que chamo nossa querida Mary de Alteza! Nem preciso explicar...rsrs
    A Mary é uma pessoa extraordinária, que transforma palavras em textos profundos e reflexivos, conduzindo a leitura de forma envolvente e com muita sapiência. Justamente por transformar fatos cotidianos, aparentemente simples, em deliciosas leituras.
    Lendo esse texto foi inevitável lembrar-me das minhas paradas nas lojinhas de doces antes de entrar na escola... E o engraçado é que eu também ficava observando as tais plaquinhas e suas frases que anos mais tarde começaram a fazer sentido para mim.
    Minha mãe mora em um pequeno bairro onde os comércios são pequenos, mas calorosos; onde pessoas se conhecem pelo nome, ajudam umas às outras e as plaquinhas continuam lá...com os mesmos avisos para aqueles que não sabem honrar com palavras e amizades.
    Adorei! Aliás, os textos da minha Alteza são sempre espetaculares!
    Parabéns De, minha linda, pela escolha! Reverencio às duas queridas amigas por essa agradável leitura!
    Alteza... já sabe... sou sua fã e amiga! Adoro você!
    Grande beijo,
    Jackie

    ResponderExcluir
  13. Oi Sidney, essa coisa de falar de tempo e de passado me deixa nervosa... Qualquer descuido e pronto: idade revelada!!!...rsrs.

    A Mary é uma amiga muito especial cujo talento admiro faz tempo.

    Mas amigo, quando li o texto antes de começar a organizar a postagem, o excelente post da nossa amiga me trouxe a memória uma placa que li uma vez não sei onde e que dizia assim: FIADO SÓ PARA MAIORES DE 90 ANOS ACOMPANHADO PELOS PAIS. Fiquei tão impressionanda com a criatividade que nunca mais esqueci...rsrs.

    Pelo que vi a crônica lhe trouxe lembranças também e é provável que isso ocorra a todos que tiverem oportunidade de ler. A linda forma como a Mary escreve acaba por nos transportar...

    Abs

    ResponderExcluir
  14. Oi Emília, uma coisa que gosto nos shoppings é o ar condicionado. Aqui onde moro faz um calor terrível, você não tem idéia...

    Mas o cartão de crédtio é um perigo mesmo, concordo. Há que se ter controle sobre ele...

    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi Maria, então somos duas! E sou uma fã feliz por ela ter aceito meu convite. E você tem razão, um livro seria ótimo mesmo. Talento não falta! Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi Valéria, uma alegria ver você por aqui, nesta "parceria" que fiz com a nossa amiga Mary.

    Um tipo de "atendente" que não gosto muito é o solícito demais. Sou daquelas que gostam de olhar com calma os produtos, sou indecisa... E ter alguém o tempo todo me pressionando para escolher logo, me faz desistir da compra. Por outro lado, às vezes a gente procura alguém para perguntar alguma coisa e sumiram todos...rs.

    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Oi Mary, eu vou te dizer aqui, o que te disse por e-mail e tenho dito também a todos os convidados que tem honrado este meu espaço. Quem agradece aqui sou eu!!!...rsrs.

    Este blog não existiria sem as excelentes postagens dos amigos que inspiram os meus singelos comentários e que trago pra cá para servirem de ponte na divulgação dos seus trabalhos. E também não seria possível mantê-lo sem os maravilhosos posts com os quais tenho sido presenteada para publicar e divulgar aqui.

    Obrigada por ter aceito meu convite, obrigada pela linda postagem, obrigada pelas palavras gentis e obrigada também pela manutenção do nosso contato por e-mail no período em que estive afastada. Como já disse outras vezes, alguns amigos vão se tornando cada vez mais "reais" na convivência virtual e estabelecem laços que transcendem as visitas, votos e comentários. Foi por causa de amigos como você, que acabei voltando...

    Bjs

    P.S.

    Pois é, eu realmente tinha esquecido que você não era da capital. Mas sei dessa diferença, já que morei no Rio por 10 anos.

    De qualquer forma, posso compreender o seu pedido... Essa coisa de time é complicada, sei bem...rsrs.

    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Oi Vera, lendo teu comentário lembrei que quando criança, ouvia meus pais mandarem meus irmãos comprarem algumas coisas no "caderno", que deve ser o equivalente à "caderneta" que você falou.

    Sempre agradecida por sua presença por aqui.

    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Oi Jackie, tuas colocações acerca da nossa amiga aqui são perfeitas! Assino embaixo!

    Até hoje eu fico impressionada com essas plaquinhas e com a criatividade de algumas pessoas nessa "arte". Na minha vida de andarilha, fiz algumas viagens de carro. Lembro de uma placa que li na beira da estrada: BANHEIRO CONVIDATIVO. Foi outra placa que jamais esqueci. Quem faz viagens longas sabe que essa coisa de "banheiro" é complicada. Acho que essa propaganda devia fazer o maior sucesso...rs.

    Como sempre, feliz de ter você aqui "conversando" neste meu espaço.

    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Que delícia de crónica! Estou a recordar-me de todas as plaquinhas, em jeito de azulejo rectangular, com uns arabescos azuis no rebordo e, no centro uma frase em letra desenhada.

    Realmente, todas aquelas frases alegres, de alento, de reflexão e até jocosas fizeram parte da minha infância. Algumas dessas lojinhas, herdadas de pais e avós - hoje transformadas em frutarias ou mini-mercados com ar luminoso e moderno - ainda fazem questão de ostentar essas placas velhinhas com dizeres atemporais.

    Parabéns à Mary por esta crónica maravilhosa e à Denize pela excelência deste espaço!

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  21. Oi, Vera!

    Acho uma delícia essas barracas com seus artigos infindáveis...
    De doces a mata-moscas, tem tudo lá, simples, mas objetivo!
    Eles anotam tudo numa agenda mesmo e alguns escrevem engraçado, tipo: 'A menina do cabelão' (eu! rsrsrs) como se não aparecesse mais nenhuma assim por lá...
    Como eu disse ao José, ainda tenho contato com esse tipo de comércio porque minha cidade transita entre o urbano e o rural, tendo os dois funcionando magnificamente bem!
    (Pegar fiado em escola, eu nunca peguei... Nunca tinha as guloseimas que eu mais gostava!...)

    Adorei sua presença aqui!

    Beijos,

    Mary:)

    ResponderExcluir
  22. Olá, Fênix do Bem, queridíssima Jackie, minha doce amiga!

    E assim como muita gente sabe que você me chama de Alteza, muita gente igualmente sabe que fico toda prosa com esse título honorável que me aplicou!
    (Dá pra eu continuar sendo humilde depois dessa? rsrsrs)
    Oh, minha linda...
    Adoro fatos, sejam eles quais forem, e por isso, me sinto mais à vontade quando escrevo sobre eles!
    Você acredita que até hoje lembro do jeito das letras, se eram de madeira ou alumínio, até mesmo a cor de algumas placas?
    Não escolhi esse tema em vão...
    Realmente muitos desses ensinamentos me 'perseguem' até hoje, passando em revista na mente, lembrando do ambiente simples, mas que continha tanto amor...
    Ah, e o acento eles erram no 'abênçoe', que não tem acento algum...
    Sim, querida, 'bênção' tem acento! rsrsrs
    Com acento ou não, essas plaquinhas são demais, né?
    E que maravilha tantas pessoas se identificarem com o texto!
    (Pensei que só eu me ligasse nesse tipo de 'aprendizagem'... rsrsrs)

    Beijos, minha Fênix!
    Seu vôo tem sempre boa aterrisagem em qualquer espaço!!!!
    Te adoro, amiga minha!

    Mary:)

    ResponderExcluir
  23. Oi, Lu, prazer receber sua presença!!!!


    Uau, quanta gente lembrando dessas placas!!!!
    Confesso que pensava que eram memórias apenas minhas... rsrsrs
    Legal desses comerciantes-herdeiros, que mantém a tradição, deixando-as lá porque, você bem dissera, são atemporais!
    (Quando vai sair de moda NÃO TENHO TUDO O QUE AMO, MAS AMO TUDO O QUE TENHO?)

    Beijos e obrigada pela presença, agradecendo, naturalmente, também à Denize, pela permissão desse espaço de interação!

    Mary:)

    ResponderExcluir
  24. Olá meninas queridas !!!!!

    Denize, quero parabenizá-la por esta iniciativa incrível de convidar estas pessoas maravilhosas para nos encantar com seus textos !!

    Mary, amei !!
    Bom, começando do começo...
    Eu como vendedora, trabalhei 15 anos no ramo, posso dizer que também jamais destrato um profissional porque sei o que é estar do outro lado, aliás, nem os que são ruins eu julgo, pois sei como é ter que ficar no cangote do cliente ( não porque somos chatos e sim porque o dono da empresa Manda ! ), sei quantas horas semanais trabalham, e que muitas vezes passam meses sem folga só para bater a bendita cota ! Isso tudo, muitas vezes com a chibata estalando no lombo kkk
    Mas não sou enjoada, saio de casa por exemplo querendo um short preto e só vou comprar se for um short preto, não adianta vir com echarpes, sapatos, o que for, sou bem objetiva, talvez seja enjoada neste ponto né !! kkkk
    Agora estas lojinhas menores, ahhh estas conheço bem, vivi 32 anos numa cidadezinha de 80 mil habitantes, onde tem 1 mercado, 2 pracinhas e 1 cinema ( recente hehehe )...
    Cresci lendo estas plaquinhas e sabe que agora mesmo, aqui em SP, fui a uma vendinha perto de casa e lá estava a plaquinha, algo assim Fiado só quando o Corinthians for campeão... agora não sei de que campeonato ... kkkkk
    Mesmo aqui, nesta mundão de cidade, já precisei levar fiado ( a máquina de cartão não passava e eu estava sem uma moeda sequer ) e graças a esta convivência diária, me senti de novo na minha cidadezinha... onde iria imaginar que um estabelecimento aqui ia me deixar sair sem pagar ? é tudo tão impessoal... Foi constrangedor, mas me deu uma boa sensação de proximidade :)
    Que gostoso seu texto, amiga, como sempre sabe nos envolver, trazer boas lembranças e nos fazer refletir !!
    Sabe que sou sua fã e do Fatos de Fato né !!!
    Parabéns pela belíssima participação aqui neste espaço, igualmente ótima da Denize !!

    Um super mega beijooooo pra vocês e bom fim de semana !!!!

    ResponderExcluir
  25. Oi, Menina Sorriso, querida Samzíssima!

    Também já estive do outro lado.
    Trabalhei em comércio por três meses, tempo suficiente para saber que JAMAIS se deve destratar um atendente, que rala feito um condenado, com chibata no lombo! (Adorei essa citação sua! rsrsrs)
    A minha enjoação se deve porque nunca sei lá bem o tipo de sandália, roupa que quero, então, fico olhando tudo até me apaixonar por algo.
    O que me causa vergonha em admitir, é que às vezs 'de primeira' já curto algo, mas faço o atendente abrir os outros produtos para eu olhar...
    As lojinhas pequeninas são os meus amores!
    Convivo com elas até hoje!!!!
    É tão gostoso poder chamar os funcionários e o dono pelo nome, e legal demais perguntar: 'Como está fulano? E sicrano? Soube que a Dona Beltrana vendeu a casa...', etc.
    O ser humano precisa dessas afetividades, desses vínculos; chamo isso de ser gente, sabe?
    Aquela frieza dos grandes comércios, me aborrece!
    Sam, já aprendi (e aprendo até hoje) com essas placas; parecem que elas penetram a alma...
    Agora sacanagem mesmo fizeram com o CorInthians!
    Como é o negócio: FIADO SÓ QUANDO O CORINTHIANS FOR CAMPEÃO?
    Menina, ninguém do Timão deve comprar lá, né não???? kkkkkkkkkkkkkkkkk
    (Aí, Denize, ainda bem que não mexeram com o Rubro Negro nem com o Colorado, hein? rsrsrs)

    Minha querida amiga, muito obrigada por ter vindo, pelas palavras sempre tão edificantes , junto ao carinho e a amizade que demonstra por mim e pelo meu blog! (Cuidado que o Fatos de Fatos puxou à dona dele: anda besta que só ele! rsrsrs)

    Beijos, florzinha!
    Sabe que também sou sua fã das maiores!

    Mary:)

    ResponderExcluir
  26. Oi, gente!

    Achei umas frases bem criativas envolvendo o tema fiado.
    Por alguns sites, foram chamadas de provérbios! É mole? rsrsrs
    Vou listá-las, para nós rirmos um bocado!

    FIADO É IGUAL BARBA: SE NÃO CORTAR, CRESCE.

    FIADO? SÓ EM DIA DE FERIADO, QUE O BAR ESTÁ FECHADO.

    PROMOÇÃO: PEÇA FIADO E GANHE UM NÃO!

    FIADO? SÓ NA CASA DA SOGRA!

    O TIO QUE VENDIA FIADO, SAIU.

    MULHER BONITA NÃO PAGA, MAS TAMBÉM NÃO LEVA.

    EM TERRA DE POBRE, QUEM FEZ FIADO É REI.

    FIADO, SÓ A PARTIR DE 2099.

    LEVE FIADO E LEVE DE BRINDE A MINHA SOGRA.

    A POLÍCIA PROCURA SUSPEITO POR TER PEDIDO FIADO, ENTÃO NÃO SEJA O PRÓXIMO!

    FREGUÊS EDUCADO, NÃO COSPE NO CHÃO, NÃO DIZ PALAVRÃO E NEM PEDE FIADO.

    60 NUM BAR, 70 SAIR 100 PAGAR, AÍ MANDO A PLÍCIA 20 BUSCAR.

    O FIADO É MUITO PROCURADO, MAS AQUI NÃO SERÁ ENCONTRADO!

    FIADO SÓ SE FAZ A UM BOM AMIGO, E O BOM AMIGO NUNCA PEDE FIADO...

    EU TENHO VERGONHA DE TE DIZER NÃO, POR ISSO, NÃO PEÇA FIADO!

    FIADO ERA SÓ ATÉ ONTEM... (Essa frase tem a ver com o tempo também, notaram? rsrsrs)


    Espero que tenham gostado!

    Mary:)

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante e esse espaço é seu. Aqui você pode concordar, discordar, ensinar, enfim, passar a sua visão e experiência de vida. E sempre procuro responder a todos.

Só tem um detalhe: comentários agressivos e com palavrões não serão publicados, porque vão de encontro à proposta deste blog, que é contribuir ainda que modestamente, para a Paz e Harmonia.

Desde já agradeço a atenção.